terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Olhar e não ver...

E eu que acreditava que a vida estava nos teus olhos!
Quando hoje...
Eventualmente precisei sair de casa
Depois de um tempo de clausura
Confinada às minhas próprias dores e escolhas...
Nesse mundo meu... feito "quase" perfeito e impróprio...
Pude ver minhas emoções serem assaltadas na rua
Pelos olhares das pessoas humanas
Com suas roupas... cabelos e vozes!
Parecia que eu percorria as estradas de mim mesma
Acompanhada de estranhos comuns
Vi muitas formas e cores
Explorei aromas e sabores
Me deu vontade de beijar qualquer boca
Quem sabe...
Exista outro hálito deciosamente "menta" e alcoólico por aí!?
Pelas vias... vielas e avenidas
Também existem corações
Pensei que só eu possuía esse músculo pulsante e errante
E no passo descompassado de outros e tantos
Eu assistia a vida...
Que você roubou de mim
Então... seus olhos!
Eu enfim... pude concluir
Nunca tiveram vida
Foram sempre a prisão
Que me manteve aqui

20 comentários:

Elaine Castro. disse...

Sil,
Que estimulante este poema, dá vontade também de sair por aí beijando as bocas com gosto alcoolico de menta, rsrsrsrs.
Gosto muito também dos seus poemas, escreve com intensidade e ao mesmo tempo inoscência.

Beijinhos e boa noite.

Eric Felipe disse...

"Pensei que só eu possuía esse músculo pulsante e errante"

Mas descobri aqui, no mais profundo espaço desse imenso e amante coração, que esse músculo é capaz de manter ativo o amor, seja aqui ou meus olhos... nos meus sonhos!

Adorei seu texto, Sil!
Sou tremendamente apaixonado por seu estilo de escrita.

Parabéns!
Beijos de brigadeiro!

Guará Matos disse...

E vamos pulsando com toques fortes e ativos.

Bjs,

Jão disse...

é ctodos nós possuimos esse músculo errante.E as vezes o aprisionamos a prisões que com o passar do tempo é difícil de libertar. Mais não impossivel.

Beijos

Everson Russo disse...

As vezes a gente se perde no mundo que criamos,,,nos sonhos que traçamos,,,e depois, é dificil se libertar dessa clausura....beijos de bom dia pra ti.

Jão disse...

Volto aqui minha cara Sil, para deixar meu abraço e um afago, essas separações fazem parte do caminho mais como tudo nessa vida é temporário. É questão de tempo ate você e sua vó estarem juntas novamente.


Beijos afetuosos e um pedido de desculpa e a transtornei de alguma forma.

Serginho Tavares disse...

e vamos pulsar a vida
beijos

Andre Mansim disse...

Sil... parabens amiga! Dessa vez vc arrazou! Que texto legal...
Vc é a poetiza mor da blogsfera!!!!

Zil Mar disse...

Oi Sil...

Me vi dentro do seu poema....


"Então... seus olhos!
Eu enfim... pude concluir
Nunca tiveram vida
Foram sempre a prisão
Que me manteve aqui"

É ISSO.....


bjo grd querida!


Zil

Mariana disse...

Vim agradecer a visita,e já estou te seguindo.
Encontro um belo poema, cheio de reflexão.
Devemos acreditar na vida e nas mensagens q ela nos manda através de tantos momentos e acontecimentos.
Grande abraço.

Daniel Savio disse...

Tem encantos que simplesmente são jaulas de ouro...

E bonita poesia.

Fique com Deus, menina Silene.
Im abraço.

J.únin R.odriguez disse...

"Vi muitas formas e cores
Explorei aromas e sabores
Me deu vontade de beijar qualquer boca"

Sil... o que foi isso?! Wow! Quanta eloquência! Eu adoro isso! Exageros, explosões, nebulosas e colisões!

UHASUAHSUASHUSAH'

Beijos! Linda postagem!

Franck disse...

Já está ficando lugar comum elogiar suas poesias e sua sensibilidade...é melhor apenas lê-las e se emocionar,né?
Bjs*

Moreira disse...

Muito bom, gostei ;)

Junior Rios disse...

Sil, que bela libertação desta prisão, a qual, às vezes, nos mantemos por pura ilusão ou costume!
Obrigado pelas visitas sempre constantes e incentivadoras, respondendo a sua "perguntinha" lá no blog, não sou eu o da foto,não!

Bjo

Moreira disse...

Muito obrigado ;)

Runa disse...

Expressas-te com sentimento e profundidade, tornando agradável e envolvente a leitura, a quem passa por aqui...

Beijos

Runa

Vanessa disse...

Belíssimo minha amiga...

Gde beijo.

Lidi Dias disse...

Lindo Sil!!
Enxergamos com os olhos do mundo ou com olhos da Alma??
Parabéns pelo excelente texto!
Beijos na sua Alma

Sil Villas-Boas disse...

Sil

Saudades de você. Por onde andavas que não fosses mais no meu "jardim"?
Teu poema é lindo. Sublime e suave como você.
Bjusss
Sil