terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Anoiteceu...

Hoje a noite...
Paira... sobre a mesa de um bar
Perdido... aquele nosso olhar
Esquecido por mim e por você!
Como quem despreza um resto de bebida...
Que esquentou na metade do copo
Não mais... nós dois!?
Pelas ruas com pouca luz.... de nossa Cidade Capital.
Pelas madrugadas marginais
Sob nossos passos clandestinos
Que nos levavam ao destino de nossos corpos despidos
Do amor que sentíamos... proibido!
Amassando os lençóis brancos e quase encardidos
De uma cama pequena
De um quarto "meio" escuro
Em um motel qualquer
Refúgio de pouco luxo...
Hoje a noite...
Morre mais um pouco de mim
Na tentativa insana
De sobreviver sem ti!
Na falta do seu beijo alcoólico
Dos seus sentidos contrários... embriagados... e na desordem pacífica do meu "sentir"
No cenário... a  imagem da sua jaqueta jeans... velha e fora de moda
Desbotada... jogada na cadeira
Vou me queimando nessas lembranças
Das noites... antes dessa...
Que você me amava sem muitos cuidados
De maneira irresponsável
Puxando e embaraçando meus cabelos
Hoje a noite...
Pelas esquinas flutuantes
Com cheiro de alfalto e estrelas
Nosso amor está abandonado
Por mim... e por você...
Dormiremos separados mais "essa" vez
Não mais "eu em você"
E nem "você em mim..."
De agora em diante
Somos almas distantes
Olhos claros e nus
Corpos vestidos de saudade
Mãos vazias...
De qualquer possível verdade
Que não seja a nossa
Fazendo de nossos corações
Metade...

26 comentários:

Tatiana disse...

Que lindo!
Confesso que ao ler senti até um arrepio percorrer a pele.

Um abraço carinhoso

Franck disse...

Que a noite venha, então!
Bj*

Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema muito belo e profundo...forte de sentimento...pleno de desejo e amor. adorei.

Beijinho com carinho
Sonhadora

Zil Mar disse...

Oi Silene...

Senti um aperto tão grande no peito ao ler seu poema...

Suas palavras falam por si só!

bjos menina!


Zil

Andre Mansim disse...

Que legal hein Sil, sei que vc screve poemas, mas me lembrou muito os contos do Marcos Rey. Acho que este é o melhor que já li aqui, parabens amiga poetiza!

Luiz Neves de Castro disse...

Belo poema que me levou a: "No amor, só se conhece sua verdadeira profundidade na hora da separação"
Um beijo com muito afeto.

Jão disse...

"De agora em diante
Somos almas distantes
Olhos claros e nus
Corpos vestidos de saudade
Mãos vazias..."

Linda e querida Sil,

Aos olhos desnudados
e o coroção machucado
deixo aqui um afago
uma gota de amizade
um cafuné na cabeça
pra acalentar o frio
ate que o novo amor chegue


Beijos moça,

Gil Façanha disse...

Repito as palavras da Tatiana, também fiquei arrepiada..rs. Um Belíssimo poema cheio de sentimentos. Invade os olhos e atinge a alma. Parabéns. bjs.

Junior Rios disse...

A cada post, tenho mais vontade de te ler...Suas palavras hoje são como uma respiração, essenciais para o meu dia!Lindo demais!

Bjo e ótima quarta, Sil!


wwwsinparangon,blogspot.com

Evanir disse...

Amiga ..Um bélissimo poema porém triste .
Claro isso não quer dizer que não gostei muitas vezes nossas almas se mistura a cada poema que lemos.
Um beijo carinhoso.Evanir.
http://aviagem1.blogspot.com/

Sil Villas-Boas disse...

Sil querida Xará

Belíssimo poema. Amei, deliciei, viajei nas suas palavras.
Bjussss no coração.
Sil

Diego Marques disse...

Não sei como ainda me impressiono com o que leio aqui...
É tudo muito perfeito sua sensibilidade é impecável!
Parabéns Sil

Flor da Vida disse...

Nossa! Minha amiga, destes um magnífico show de versos aqui Aplausos!!! Você tem um jeito todo especial de escrever, Deus abençoe sempre esse teu sublime talento! Minha linda e amada amiga, saudades de ti... Carinhos... Bjsss

Fernand's disse...

ahhhhhhhh, a noite é mesmo maravilhosamente cheia de possibilidades!

Vanessa disse...

Lindo!!!

Bjs meus!

Solange disse...

quem sabe um dia você reconheça, na multidão, aquela jaqueta jeans...

bjs.Sol

Daniel Savio disse...

Bonito, mas com o fim do amor, não adianta estar sobreo, ou alcoolizado, vai doer a distancia do mesmo jeito...

Fique com Deus, menina Silene.
Um abraço.

หคтнყ disse...

Que poema lindo!
São as coisas pequenas que fazem
falta e que nos marcam.

Bju grande!

Any Brasil disse...

que tudo, amei. já tô te seguindo, depois aparece no meu blog:
trendluxo.blogspot.com

Flor da Vida disse...

Olá menina adorável! Vim te dar um abraço, e te deixar carinhos, viu? Obrigada por existir!!! Bjsss

J.únin R.odriguez disse...

Só consegui respirar no final. E ainda me sinto ofegante....

=O

Adoro descrições provocantes, porém sutis... Lindo demais!

Parabéns Sil, mil beijos pra tu!

A.S. disse...

Silene,

Na primavera tudo renasce e se renova... até o amor!!!


Beijos,
AL

Humor Negro sem Censura disse...

Oi minha querida, Obrigada pela visita, adorei o teu espaço e já estou a te seguir.

Beijos =*

Abraços e Ótimo Domingo!

ElectronLeo disse...

Oiee Passando pra deixar um abraço!!!
Beijos

หคтнყ disse...

rs Sil, vc achou o slogan muito
Obsceno?
Eu fiz uma enquente, e dependendo dos votos eu troco o Slogan ^^

Bjão

Jorge Pimenta disse...

querida amiga, recordaste-me com o teu texto uma passagem da letra do jorge palma, "encosta-te a mim": "o que não vivi/ hei-de inventar contigo".
beijinho!